COMO CRIAR

2022-11-01T07:00:00.0000000Z

2022-11-01T07:00:00.0000000Z

Infoglobo Conumicacao e Participacoes S.A.

http://revistagloborural.pressreader.com/article/281526525000687

COMO CRIAR

Um peixe que reúne ótimas qualidades para um projeto de piscicultura barato e rentável, comercial ou caseiro, é o acará-bandeira (Pterophyllum scalare). De temperamento dócil, tem manejo fácil. Por ser resistente, se adapta a diferentes sistemas de produção. Muito prolífico, realiza várias desovas ao longo do ano. Com instalações adequadas para minimizar as flutuações de temperatura da água, principalmente em regiões frias, vive em qualquer região brasileira. Ornamental, que se destaca entre as espécies mais conhecidas no mercado, tem comercialização garantida. Dotado de escamas com cores diversas e vibrantes no corpo achatado, o acará-bandeira possui uma beleza que atrai a atenção de todos. Listras, nadadeiras longas e outros detalhes na aparência também contribuem para ampliar as vendas do peixe, que é procurado para compor aquários decorativos de diferentes tamanhos. A propósito, seu comportamento pacífico permite ter no mesmo ambiente boa convivência com espécies diferentes, como cascudo, coridora, guppy, peixe-espada, plati e rodóstomo. A partir dos 3 centímetros de comprimento, medida que registra por volta dos três meses de vida, quando apresenta características e padrões de um peixe adulto, o acará-bandeira já pode ser vendido. A espécie, que chega a atingir cerca de 12 centímetros de comprimento, tem possibilidade de sobreviver de sete a dez anos se tratada adequadamente. No período de reprodução, é importante ter cuidado se houver peixes predadores no viveiro. O mais recomendado é que os casais de acará-bandeira sejam transferidos para outro local, a fim de proteger o processo de eclosão dos ovos, que são aderentes e se fixam em superfícies variadas, desde pedras a folhas de plantas e vidros, no caso de aquários. O uso de recipientes como caixas d’água é uma alternativa que facilita o manejo do peixe, inclusive para a formação de casais, uma vez que é difícil distinguir machos e fêmeas do acará-bandeira. Quando chegarem aos 7 centímetros de comprimento, de dez a 15 exemplares podem ser reunidos para o acasalamento em uma das caixas ou aquários. Após a escolha natural dos pares, que são monogâmicos na espécie, o casal fica junto ao longo de todo o processo reprodutivo. Bons pais, dividem as tarefas nos zelos com os ovos e as larvas, herança do que realizam na natureza, onde o acará-bandeira vive em rios com águas lentas e áreas alagadas e com grande quantidade de vegetação e substratos. No hábitat natural, a espécie gosta de nadar em cardume e ainda estabelece hierarquia de alimentação quando jovem. Peixe de água doce, o acará-bandeira é originário da bacia amazônica e pertence à família dos ciclídeos.

pt-br