Pecuária de baixo carbono exige parceria no campo

Marfrig reintegra 2,5 mil fazendas à rede de fornecedores após oferecer assistência para correção de inconformidades

2022-11-01T07:00:00.0000000Z

2022-11-01T07:00:00.0000000Z

Infoglobo Conumicacao e Participacoes S.A.

http://revistagloborural.pressreader.com/article/281921661991919

OPINIÃO ∣ IDEIAS

Os desafios são grandes, mas não intransponíveis. Para os próximos anos, a Marfrig já assumiu vários compromissos socioambientais. Em 2023, a meta é ter 100% das atividades de abate de bovinos em conformidade com os padrões NAMI (sigla em inglês para designar o Instituto Norte-Americano de Carnes). Até 2030, o objetivo é garantir que toda a produção seja sustentada por uma rede de fornecedores rastreada e livre de desmatamento. Para Paulo Pianez, diretor de Sustentabilidade e Comunicação Corporativa da Marfrig, esses compromissos têm conexão direta com o esforço da companhia em mudar as relações com os fornecedores, intensificadas em 2020, com o lançamento do programaMarfrig Verde +, em parceria comaorganizaçãoholandesaIniciativa para o Comércio Sustentável (IDH). Com i nvesti mentos tota i s de R$ 500 milhões até 2025, o plano apoia produtores sobretudo na divisa com a Amazônia e o Cerrado, com mecanismos financeiros inovadores, assistência técnica e tecnologias de monitoramento e rastreabilidade. Segundo Pianez, a meta é atuar junto aos produtores com recursos tecnológicos, apoio jurídico e de gestão para que a produção entre em conformidade e obtenha melhores resultados, tanto de produtividade como financeiros. Inclusão “Nos últimos 13 anos, verificamos que os sistemas para controle da cadeia de suprimentos estavam sob égide da exclusão”, observa Pianez. Uma dinâmica que, na visão do porta-voz, não favorece o setor, porque o produtor excluído do sistema de suprimentos de uma empresa vai continuar fornecendo para outros compradores. “Percebemos que era necessário mudar a abordagem. Sair de exclusão para inclusão”, completa. De 2021 a setembro deste ano, a Marfrigreintegrou2,5milfazendasque estavam com algum tipo de problema na esfera regulatória, ambiental ou de governança. Hoje, a companhia possui rede com 8 mil fazendas ativas. “Viabilizamos recursos para dar assistência técnica ao produtor, seja em tecnologia, para que possa fazer um sistema integrado de culturas, ou consultoria de gestão e jurídica, que o ajuda a resolver uma inconformidade do ponto de vista de regularização fundiária. Criamos um hub de especialistas para que esse produtor se mantenha na cadeia da Marfrig”, diz Pianez. Comessas ações, em2022, a companhia alcançou 71% de fornecedores livres de inconformidades ambientais na Amazônia, e 70% no Cerrado. Esses números refletem, segundo o porta-voz, o compromisso assumido com o Marfrig Verde+ de garantir uma produção 100% sustentável. Alguns dos resultados já aparecem, como a redução em33% de emissões indiretas, provocadas ao longo da cadeia produtiva (Escopo 3) da companhia. Em 2021, a Marfrig também subiu duas posições no BBFAW (Business Benchmark on Farm Animal Welfare), ranking global de gestão de bem-estar animal, do qual a companhia é participante desde 2012. O Marfrig Verde + foi um dos projetos apresentados no 1º Fórum Futuro do Agro, evento realizado por Globo Rural e Imaflora, que contou com a Marfrig como um dos patrocinadores.

pt-br